travesseiro
apneia do sono
Bem Estar

Apneia do sono: o que é e como tratar?

A apneia do sono é um dos principais vilões da qualidade do sono. Este distúrbio é caracterizado por breves e repetidas interrupções da respiração enquanto a pessoa dorme, gerando o ronco.

Entretanto, nem todo mundo que ronca, tem apneia. Porém, quem tem apneia necessariamente produz ronco.

Todavia, o ronco da apneia é entrecortado por engasgos que, muita das vezes, são imperceptíveis ao indivíduo, mas que incomodam outras pessoas.

Essas pequenas pausas na entrada de ar chegam a diminuir a concentração de oxigênio no sangue. Além disso, a pessoa não consegue a ter um sono reparador e profundo, que afeta a qualidade de vida e pode acarretar outros problemas de saúde.

Quais são os sintomas?

  • Ronco;
  • Sonolência excessiva diurna;
  • Despertar ofegante ou com sensação de sufocamento;
  • Dor ou desconforto no peito;
  • Dor de cabeça matinal;
  • Boca seca ou dor de garganta ao acordar de manhã;
  • Dificuldade de concentração e raciocínio;
  • Irritabilidade.

O que a apneia do sono pode causar?

  • Doenças cardiovasculares;
  • Hipertensão;
  • Crescimento do coração;
  • Insuficiência e arritmia cardíacas;
  • Aterosclerose;
  • Infarto;
  • Derrame cerebral

Pelo que podemos perceber, o problema é muito mais sério do que podemos imaginar.

Fatores de risco

Vários fatores podem criar obstruções que dificultam a passagem de ar, tais como:

  1. Relaxamento excessivo dos músculos da garganta e da língua ao dormir;
  2. Língua, úvula, amígdalas ou adenoides muito grandes;
  3. Queixo pequeno;
  4. Pescoço com grande circunferência;
  5. Deformidades craniofaciais.
  6. Obesidade;
  7. Doenças do coração;
  8. Hipertensão arterial.

Como tratar a apneia do sono?

Para o diagnóstico da apneia do sono, você deve realizar a polissonografia, que é um exame de monitoramento do sono, realizado com aparelhos eletrônicos e sob a supervisão de um profissional habilitado. 

Por meio deste exame, é possível avaliar a quantidade de apneias ocorridas durante o sono, bem como a gravidade do distúrbio.

De acordo com profissionais de saúde do hospital Albert Einstein, os tratamentos mais comuns são:

  • Tratamento conservador: É realizado por intermédio da higiene do sono e do emagrecimento. Simples medidas, como a retirada de bebidas alcoólicas e de certas drogas (benzodiazepínicos, barbitúricos e narcóticos), a adequada posição do corpo (sempre deitando de lado) podem ser eficazes para o tratamento.
  • Fonoterapia: Exercícios supervisionados por Fonoaudióloga especializada em Medicina do sono, visando fortalecer a musculatura da via aérea superior.
  • CPAP: Este é considerado o padrão-ouro no tratamento da apneia. Trata-se de um pequeno compressor de ar muito silencioso de alta tecnologia que gera e direciona um fluxo contínuo de ar através de um tubo flexível, para uma máscara nasal ou nasobucal confortavelmente aderida à face.

Como se prevenir?

Uma das formas de prevenção contra a apneia do sono é um estilo de vida saudável, com alimentação balanceada, realização de exercícios físicos regulares. Isso inclui evitar o cigarro e o consumo excessivo de bebidas alcóolicas, sobretudo antes de dormir.

Se mesmo assim, este distúrbio atrapalhar a saúde do seu sono, procure tratamento com especialistas.